Ballet Stagium apresenta os espetáculos Memória e Kuarup ou A Questão do Índio

KUARUP

O Sesc Nova Friburgo e o Sesc Quitandinha recebem, a partir desta sexta-feira (27/7), os espetáculos Memória e Kuarup ou A Questão do Índio, apresentados pelo Ballet Stagium.

Memória é um trabalho de resgate da produção artística do Stagium ao longo destes 46 anos. Tomando como fio condutor o sistema coringa, os bailarinos se transportam para algumas das propostas do Stagium exploradas desde a sua fundação em 1971. Como Jerusalém, Coisas do Brasil e Saudades de Elis, além de produções que evocam as músicas de Piazzola, Ary Barroso e Chico Buarque, também compõem esta síntese.

Kuarup ou a Questão do Índio teve sua estreia em 1977, num dos períodos mais obscuros da história política do Brasil. A obra é considerada um marco da dança por apontar uma política cultural para o país, rompendo amarras e limites entre arte, educação e consciência histórica.

A coreografia foi apresentada em todo o território nacional, América Latina e Europa, que somam mais de 400 apresentações. As questões das sociedades indígenas inseridas no contexto atual tiveram retrocessos mais que significativos, tanto nas demarcações das terras como no detrimento de suas identidades. As leis recuam ao invés de se legitimarem. Remontar Kuarup nos seus 40 anos de trajetória extrapola as comemorações, torna-se fundamental para nos reconhecermos como território existencial.

Ao apresentar as duas obras num mesmo programa, o Ballet Stagium, com 46 anos de existência, coloca em evidência o seu constante trânsito entre tradição e ruptura, estabelecendo uma estética própria e uma linguagem que propõe refletir o Brasil em sua complexidade social, histórica e cultural.

Ficha Técnica | Direção: Marika Gidali e Décio Otero | Ideia e coreografia: Décio Otero | Direção teatral: Marika Gidali | Bailarinos: Ádria Sobral, Gustavo Lopes John Santos, Eugenio Gidali, Marcos Palmeira, Luiza Vilaça, Fabio Villardi, Pedro Vinicius Bueno, Nathália Cristina, Eduarda Julio, Tatyane Tieri, Leila Barros, Nayara Rodrigues, Pablo Neves e Jonathan Santos | Músicas:      Memória: Colagem musical |Kuarup: Músicas originais do alto e baixo Xingú | Edição trilha sonora: Aharon Gidali e Décio Otero | Produção: Marika Gidali | Fotógrafos: Arnaldo J.G. Torres |Professores: Décio Otero, Yoko Okada | Secretário: Jose Luis Santos Oliveira.

Sobre o Ballet Stagium: Em outubro de 1971, o Brasil vivia o momento mais agudo da ditadura militar instalada em 1964. Uma bailarina húngaro-brasileira sobrevivente dos campos de concentração e um brasileiro nascido no interior, e já com brilhante carreira nos palcos europeus, encontram-se em “Convite à Dança”, programa da primeira e recém-inaugurada televisão pública no Brasil, a TV Cultura de São Paulo. Terminada a série de programas, ficou a pergunta. E agora? Na falta de condições de trabalho, Márika Gidali e Décio Otero precisariam criar suas próprias condições, se quisessem continuar a dançar no Brasil. Em torno da pequena academia de dança que abriram em São Paulo nasceu o Ballet Stagium, uma companhia particular e estável à margem do governo e das verbas públicas. Perseverança para encarar dificuldades, que não são poucas, sem esmorecer. Perseverança para resistir a todas as tentações do glamour que poderiam desviar o Stagium do seu caminho. Coragem e perseverança para desafiar os riscos de ser artista, comprometido com o seu tempo e com os homens do seu tempo, sem ceder à vaidade tola e ao brilho passageiro. Por tudo isso, a dança no Brasil tem nome: Stagium. E hoje, a caminho de 47 anos, a companhia persevera na coragem de Márika Gidali e Décio Otero.

Memória e Kuarup ou A Questão do Índio – Ballet Stagium

Dia 27/7/2018 – 20h
Ingressos: R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia entrada para casos previstos por lei e para quem levar 1kg de alimento não perecível), R$5,00 (Cartão Sesc RJ)

Dia 28/7/2018 – 21h
Ingressos: R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia entrada para casos previstos por lei e para quem levar 1kg de alimento não perecível), R$5,00 (Cartão Sesc RJ)