Festival Sesc de Inverno

#FestivalSescdeInverno

Participe usando a hashtag

Compartilhe

Seminário

O Seminário ENTRE TEMPOS é a linha conceitual da programação do Festival Sesc de Inverno 2016, que marca os 15 anos de atividades ininterruptas nas Unidades de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, anfitriãs e realizadoras do evento.

Como funciona sua relação com o tempo? É possível abstrair o tempo (e o espaço) para ampliar a percepção? De que forma as tecnologias mudaram a forma como lidamos com o tempo? Essas e outras reflexões permearão todas as ações presentes no Festival de Inverno 2016, sempre vinculadas ao passado e ao futuro, por meio de performances, exposições, poemas, danças, teatro e música. Tais ações revelam diálogos com diversos tempos e espaços. A percepção do tempo exige, a todo instante, novos olhares sobre a relação do sujeito com a vida e seus afetos.

A atividade acontece na Unidade Sesc Quitandinha, no 16 de agosto, às 19h, na Sala de Convenções.

12/08 - sex19h

Seminário

O Tempo de Mutação

Exibição do filme "Quanto tempo o tempo tem", de Adriana Dutra Debate com o poeta Alberto Pucheu e a cineasta Adriana Dutra com mediação de Mariana Filgueiras

Participantes

Alberto Pucheu

Nascido em 1966, Alberto Pucheu é poeta, ensaísta, professor de Teoria Literária da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Cientista do Nosso Estado pela Faperj (já havia sido antes Jovem Cientista do Nosso Estado, pela mesma agência de fomento) e pesquisador do CNPq. Seu livro de poemas A fronteira desguarnecida foi vencedor do Programa de Bolsas para Escritores Brasileiros, da Fundação Biblioteca Nacional, e o de ensaios Pelo colorido, para além do cinzento; a literatura e seus entornos interventivos recebeu o Prêmio Mário de Andrade de Ensaio Literário, da Fundação Biblioteca Nacional. Sejam de poemas ou de ensaios, muitos de seus livros vêm recebendo resenhas nos jornais de maior circulação do país, em sites específicos e em periódicos acadêmicos. Alberto Pucheu também tem publicado ensaios em diversos livros, nos principais periódicos acadêmicos brasileiros e em portais nacionais e internacionais de literatura, bem como resenhas e poemas nos mais importantes jornais do país e em sites específicos. No dia anterior às penúltimas eleições, o caderno Prosa&Verso, de O Globo, publicou seu inédito “Poema para ser lido na posse do presidente”. Em 2011, o autor teve 20 das fotografias que vem tirando de frases grafitadas em ruas de diferentes cidades do mundo expostas, sob o título de Paisagens urbanas quase sem paisagens, no evento internacional ArteFórum, sob a curadoria de Beatriz Rezende, e realizou, em julho de 2011, a instalação Palavras, no Oi Futuro de Ipanema, no projeto Poesia Visual, sob a curadoria de Alberto Saraiva (essa série de exposições e instalações contou também com mostras de Ferreira Gullar, Antonio Cicero, Wladimir Dias Pino, Tadeu Jungle, Helena Trindade, Roberto Corrêa dos Santos e Lúcio Agra). Junto com Gabriela Capper, Pucheu vem realizando vídeo-poemas, vídeo-teóricos e breves documentários, como Leonardo Fróes: um animal nas montanhas.

Adriana Dutra

É uma das diretoras da produtora Inffinito. Nascida no Rio de Janeiro em 1966, estudou Artes Cênicas na Casa das Artes de Laranjeiras e fez pós-graduação em direção teatral pela Hauborn Performance and Art, Londres. Em 1997, vivendo temporariamente em Miami, criou com as sócias Cláudia Dutra e Viviane Spineli o Brazilian Film Festival of Miami, hoje o maior festival de cinema brasileiro no exterior. O sucesso tornou o festival um evento oficial da cidade e fez com que as três se firmassem nos EUA. Em 2003, as sócias produziram o 1º Festival de Cinema Brasileiro de Nova York, agora chamado Cine Fest Petrobras-Brasil. Três anos depois, deram início ao Cine Fest Brasil-Barcelona, consolidando assim o Circuito Inffinito de Festivais, que em 2007 passou por Miami e Nova York, nos EUA, Barcelona, na Espanha, e Frascatti, na Itália. Em 15 anos, os festivais de cinema da Inffinito atingiram mais de 800 mil pessoas. Em 2008, o Circuito foi realizado em Canudos (na Bahia), Buenos Aires, Madri, Miami, Roma, Milão, Nova York, Vancouver e Barcelona. Em 2009, Adriana lançou seu primeiro longa-metragem como diretora, o documentário Fumando Espero, distribuído pela Gávea Filmes e selecionado para a 32ª Mostra São Paulo. Adriana Dutra já dirigiu diversos conteúdos audiovisuais entre eles: Mulheres da Maré, Diga Não à Propaganda de Cigarros, Opção Laje, e Quanto Tempo o Tempo Tem, entre outros.

Mediação

Mariana Filgueiras

Repórter especializada em cultura, trabalhando há 10 anos nas principais redações do Brasil, com experiência internacional e três prêmios de jornalismo.

  • SESC Rio nas Redes Sociais

© 2017 Sesc RJ. Todos os direitos reservados.